Blog Bamevap

Imagem: ISTOEDINHEIRO.COM.BR

COM A BIC NA MÃO E NENHUMA BOA IDEIA NA CABEÇA
Postado em 30/05/2019 por Bruno Machado de Oliveira

Conforme o esperado, dada a diminuição das expectativas em relação ao desempenho do novo governo, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro caiu 0,2% no 1º trimestre, na comparação com o último trimestre do ano passado. É a primeira queda desde o 4º trimestre de 2016. Os dados foram divulgados pelo IBGE nesta quinta (30).  O mau resultado traz de volta o risco de uma nova recessão, que ocorre quando há dois trimestres seguidos de queda.

O governo continua apostando todas as suas fichas na aprovação da reforma da Previdência. O ministro da Economia, Paulo Guedes, ameaçou ir embora do país caso a reforma não seja aprovada. Bolsonaro segue com dificuldades para formar uma base parlamentar que dê sustentação a seus projetos no Congresso. Para piorar, os deputados do PSL, partido do presidente, sofrem com a falta de experiência e parecem se empenhar mais em fazer selfies e lives durante as votações na Câmara do que em negociar com seus pares. Com isso, colecionam derrotas. É a nova política, dizem.

Após um mês turbulento, marcado por conflitos internos e manifestações populares contra e a favor do governo, Bolsonaro resolveu apelar para a conciliação. Marcou um café da manhã com os chefes dos poderes Legislativo e Judiciário e firmou um pacto de responsabilidade com o desenvolvimento do Brasil. A atitude do mandatário, no entanto, foi interpretada por setores da sociedade como sinal de desespero. Políticos e analistas tarimbados dizem que presidentes costumam recorrer a esse tipo de acordo quando não sabem o que fazer para tirar o país da crise.

Apesar da evidente falta de rumo no núcleo da administração federal, nem tudo é despreparo e balbúrdia. No ministério da Infraestrutura, por exemplo, as coisas parecem caminhar bem. O ministro Tarcísio Gomes de Freitas tem conseguido bons resultados com a realização de leilões, concessões e parcerias público-privadas (PPPs). Seria bom se outros ministros adotassem essa mesma receita de discrição e eficiência.

Aliás, o exemplo de seriedade e comprometimento deveria vir de cima para baixo, mas a essa altura já está mais do claro que é perda de tempo exigir maturidade do chefe do Executivo. Bolsonaro ainda não se deu conta da dimensão do cargo que ocupa e é pouco provável que isso mude. Ele saiu do baixo clero, mas o baixo clero não saiu dele. Sua obsessão por armas e radares de trânsito extrapola a racionalidade. Seu desprezo pelas questões ambientais assombra o mundo. E sua desconfiança em relação à participação da sociedade civil na elaboração de políticas públicas (por meio de conselhos e outros colegiados) é uma ameaça de retrocesso democrático.

O fraco desempenho da economia nos primeiros meses do ano e o clima de incerteza no meio político têm levado os economistas a revisarem para baixo suas previsões para o PIB de 2019. Os mais otimistas apostam num crescimento de 1,23%, e os mais pessimistas já esperam alta de menos de 1%.

Enquanto o quadro econômico e as expectativas se deterioram, o presidente permanece com a caneta Bic na mão e sem nenhuma boa ideia na cabeça. Seu último “plano brilhante” é transformar uma estação ecológica em Angra dos Reis em balneário turístico.



LER ANTERIORLER PRÓXIMO

Todo nosso material está pautado na liberdade de expressão, as opiniões não refletem necessariamente o posicionamento da BAMEVAP, e possuem caráter meramente informativo.

Categorias

Todos

Atualidades

Prevenção a Fraude

Educação Financeira

VEJA TAMBÉM:

13/06/2019
A LEI É PARA TODOS

16/08/2019
NOVAS REGRAS PARA O FGTS

30/08/2019
O MUNDO CONTRA BOLSONARO

15/05/2019
BLINDAGEM VIRTUAL

13/12/2019
CARNE SALGADA

01/05/2020
O DONO DA BOLA

10/01/2019
PLANOS DOS BRASILEIROS PARA 2019

SAVap Systems Webmail